Free Joomla Templates by iPage Hosting

Visita de estudo a Sintra e Lisboa

Nos dias 15 e 16 demarço,os alunos das turmas C, D e E do 11°ano visitaram as cidades de Sintra e Lisboa, no âmbito das disciplinas de História A, Economia A e Geografia A.

O dia 15 começou muito cedo para todos: alunos e professores, por volta das 6 horas e 30 minutos, madrugaram e compareceram à chamada. Finalmente, chegou o dia aguardado e tantas vezes desejado! O entusiasmo e a euforia caldeados pelo sono e pelas previsões meteorológicas pouco animadoras deram início à nossa viagem de estudo.

O trajeto de Amares até Sintra, embora longo, decorreu sem imprevistos e, mesmo com a chuva como acompanhante não convidada, a animação e a ânsia de chegar ao primeiro destino foram uma constante.

Chegámos por volta do meio-dia à vila de Sintra e vislumbramos, calorosamente, os primeiros raios de sol. À medida que nos aproximamos do centro histórico percebemos o real significado de um destino turístico altamente conceituado graças à riqueza e variedade da sua paisagem natural e dos seusmonumentos históricos fascinantes que integram as classificações de Património Mundial, no âmbito da categoria Paisagem Cultural, reconhecimento da UNESCO que data de 1995.

Os alunos sentados na escadaria do Palácio Nacional de Sintra – enquanto aguardavam a visita guiadaao palácio real medieval dos monarcas D. Dinis,D. João I e D. Manuel Iaproveitaram para repor as energias que iriam ser necessárias para a longa jornada, valendo-se das suas merendas.Os quatro grupos de alunos, acompanhados pelos seus professores, escutaram as explicações dos guias sobre a preferência da corte e dos nobres por Sintra, justificando a construção de sumptuosas habitações rodeadas por jardins e parques com uma flora exuberante.

Para o início da tarde estava programada a segunda visita – O Palácio da Pena –com recurso ao percurso de autocarro dos serviços de transporte público do concelho de Sintra. O tempo já ameno e convidativo permitiu-nos desfrutar da paisagem da Serra de Sintra, povoada de milhares de árvores, plantas, parques e áreas florestais únicas.

Após uma pequena mas íngreme caminhada, chegámos às portas do Palácio que,rececionadose acompanhados pelos guias, visitámos as suas dependências mais emblemáticas e luxuosas. A admiração e a surpresa foram constantes à medida que descobríamos um Palácio monumental, expressão do romantismo arquitetónico, edificado por D. Fernando de Saxe-Coburgo-Gotha, segundo marido da rainha D. Maria II. O espaço envolvente constituiu outro dos seus múltiplos encantos e descobertas, um extenso parque romântico plantado com árvores raras e exóticas, decorado com fontes, cursos de água, chalets, capelas, falsas ruínas e muitos caminhos.

O dia aproximava-se do seu fim. Regressados à vila, retemperámos um pouco as energias com as provisões que restavam da merenda e rumámos ao Parquede Campismo de Monsanto para o alojamento, o jantar eoconvívio. Enfim, amerecida pernoita!

No dia seguinte, rumámos para a capital, sem chuva. A viagem foi rápida e, os dois grupos de alunos chegaram aos respetivos destinos de visita: o Arquivo Nacional da Torre do Tombo, na Cidade Universitária; o Mosteiro dos Jerónimos e Torre de Belém.

O primeiro grupo teve a oportunidade de conhecer o arquivo de âmbito nacional da rede portuguesa de arquivos e valorizar, em simultâneo, o seu universo diversificadode património arquivístico, incluindo documentos originais desde o século IX até aos dias de hoje, nos mais variados tipos de suporte. Alguns dos tesouros da Torre do Tombo felizmente já estão acessíveise podem ser apreciados, viaInternet, pelo público em geral. Assim, todos podemos fruir e preservar um inestimável e raro património comum.

O segundo grupo realizou uma visita guiada ao Mosteiro dos Jerónimos e à Torre de Belém. Estas obras-primas do estilo gótico manuelino e o ambiente histórico do reinado de D. Manuel I foram vivenciadas pelos alunos, sobressaindo, também, os túmulos de Luís de Camões e Vasco da Gama. Este magnífico conjunto arquitetónico exibe, igualmente, a distinção, desde 1983, de Património Cultural de toda a Humanidade. O encerramento da visita fez-se, gulosamente, na Confeitaria de Belém!

O almoço ocorreu num dos refeitórios da Universidade de Lisboa, na Cidade Universitária.Louvámos a oportunidade de conhecermos uma instituição de ensino superior público, quiçá uma das nossas futuras opções académicas…

O programa da tarde também prometia:a visita ao Parlamento ou Assembleia da República instalado no Palácio de S. Bento.

Apesar de alguma fadiga e indolência, esta visita foi surpreendente e muito instrutiva. Tivemos a oportunidade de conhecer grande parte do edifício, com destaque para a escadaria nobre, as Salas do Senado, das Sessões e dos Passos Perdidos e o Salão Nobre. Simultaneamente, ao palmilharmos os corredores e estes espaços magníficos aprendemos muito sobre a organização e funcionamento da Assembleia da República, nomeadamente, a sua composição, as suas competências, a reunião plenária e as comissões parlamentares. Experienciámos, também, um pouco da vivência parlamentar, nas movimentações dos Deputados e mesmo de membros do Governo.

A visita terminou um pouco depois das 17 horas, e Amares já chamava por nós. Estávamos exaustos e desejosos por chegar à nossa terra. A viagemde regresso foi animada, para uns, e sonolenta, para outros.A hora de chegada marcava as 23 horas.

Podemos, em jeito final, afirmar que foram dois dias excelentes! Ficam para memória futura: as aprendizagens, o enriquecimento cultural, o civismo e a camaradagem!

Prof ªCristina Bastos e alunas do 11º D - Ana Mota, Eva Pereira, Fátima Fernandes, Leandra Ferreira

Assembleia RepublicaAssembleia Republica alunosPalacio PenaPalacio Pena alunosTurma 11ºD